quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Entre fogueiras e fumaça


Entre fogueiras e fumaça ele caminha, tem como companheira a noite.
A chuva tenta lavar a sujeira da sua alma, ela apenas caminha.
Toma um trago de vinho na primeira bodega.
Observa rostos retorcidos misturados com êxtase dos tolos; sorrisos vazios, olhos fundos e uma leve sensação de dor no ar.
Entre fogueira e fumaça ele caminha, tem como companheira um cigarro pois é o que resta nos seus bolsos ,Pensa no quanto sua vida poderia ser mais feliz se fizesse as escolhas certas. AH! quantas escolhas!Deseja estar com a mulher dos seus sonhos, porém ela o acha fracassado, pensa na vida que deixou p/ os seus filhos...Entre fogueira e fumaça ele caminha e tem como companhia uma arma, pensa que tudo isso pode ter fim... Seu peito dói tanto que beira a loucura, lembra de momentos inesquecíveis que viveram...Pensa em DEUS e simplesmente chora...
Enzo demarco

2 comentários:

Lagarta disse...

Todos os textos são ótimos, tem um que me identifiquei mais, mas nem postei nele pra deixar o mistério.
São bem naturais, reais, atrativos...

jorginho da hora disse...

Enzo, ´não é dificio nos identificarmos com esse texto,pois todos nos vemos em situações assim o tempo quase todo. Vira e mexe, lá vem essa dor no peito. Todos sabem o que isso significa.