terça-feira, 9 de setembro de 2008

UM ALFA-SUICIDA


De cabeça erguida ele segue caminhando de onde ele veio ninguém sabe qual é o seu destino poucos se ousam a perguntar .De olhar altivo segue o seu caminho sem passado nem futuro ,apenas o presente SÒ O AGORA.
Vive tentando amenizar a dureza de ser o que é sempre sem perder o brio.Busca sempre a sinceridade nos olhos alheios,só que na maioria das vezes o que encontra é um imenso e gélido vazio.
Olha a janela e vê apenas um monte de roupa perambulando ao vento brincando de gente viva.

Musica da banda Homos Decadentis
Letra: Benjamin
Musica e arranjo: Banda Homos Decadentis

ALFA-SUICIDA

"Hoje eu acordei com a sensação de estar vivo
Por isso hoje eu quero morrer, olhei pela janela e vi um monte de roupa , perambulando, brincando de viver , imitando um monte um monte de gente viva querendo, me convence..."


Uma musica no radio toca por um instante a musica o chama a sua atenção .vai ao guarda-roupa põe algumas peças de na mochila... Na estrada,mochilas nas costas e um monte de textos na cabeça.Vai ao infinito,vai ao Além ...
Enzo de Marco

5 comentários:

Garota do jornal disse...

A dureza de ser o que se é, às vezes, é insuportável..

Mto bom, Gustavo!

Andei meio sumida, mas voltei. rs

Bjão!

Rafael de Medeiros disse...

"Roupas brincando de gente viva..."
Vida longa aos que escrevem como se pintassem!!! Belo quadro esse, belíssimo.

Estrela disse...

Forte no sentido
Simples nas palavras,
Isso é cotidiano,
"ou feia ou bonita, ninguém acredita, é vida real"

Até!

jorginho da hora disse...

Seus textos, como sempre,instigantes! Aliás, ele me inspira UMA VONTADE LOUCA DE MORAR NOUTRO PLANETA.

Felipe Lucchesi disse...

Resumindo?Belos textos e belas fotos.Abração !!!!