terça-feira, 7 de abril de 2009

Desventura


Meu amor esta longe, muito longe e por algum motivo que não quer sequer me falar. Brigas inuteis, palavras estranhas , palavras maldita ditas sem intenção de machucar no entanto e machucam muito.
E eu que toda segunda vou embora, tive que ir sem um abraço quente, o beijo gostoso e as mensagens amigas. Senti falta do sorriso nos labios, da acessibilidade e sobre tudo tive que ir embora sem o amor nos lindos olhos negros.
Na maioria das vezes eu erro assumo e peço desculpas pela dor causada ,pela mão no braço, pelas palavras feias. Procurarei outras formas de me desculpa , imaginarei... Por enquanto escrevo, pois é isso que nos resta, é isso que sempre nos resta quando a musica acaba e as luzes são acessas... O que apenas nos resta é a escrita e a solidão.
Enzo de marco

5 comentários:

Rafael Medeiros disse...

"So, when the music is over, turn-out the Lights..."
Conheces estes versos, não é, meu caro Lobo da Estepe? Pois eu os estava escutando enquanto lia tuas palavras, totalmente alquebrado, e te confesso que tal mistura alquímica fez valer a minha noite. Ah, só esqueceste de um amigo no texto...o álcool!
ABRAÇO DE LOBO DA ESTEPE!!!

gilson figueiredo disse...

me falar comigo?

Flor de Lis disse...

Pois sempre que "a música acaba e as luzes são acesas" há de surgir Enzo de Marco!

Állex Leilla disse...

Um pouco atrasada, respondo ao comentário teu deixado em meu blog: a) obrigada; b) Serrinha é bem perto daqui, quando dava aula em Alagoinhas passava todo dia por aí; c) meu livro por ser adquirido na Livraria Tom do Saber, em Salvador (Rio Vermelho), pelo site da editora P55 (www.p55.com.br), ou pelo Sebo Empório (Rua da Ajuda, antigo Berinjela), custa apenas 10 reais. Obrigada pelo interesse, beijos, escrevamos, sempre.

Beatriz disse...

Papel e caneta sempre são um bom negócio!