quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Homens carros (E o espírito do tempo)

É engraçado de como essas coisas insistem em acontecer comigo, se alguem me contasse certamente eu não acreditaria e acharia tudo uma grande historia.
Quero falar de como percebi que este poema /poesia/ musica, veio parar em minha mãos. Foi num domingo onde fui tocar junto com uns amigos num teatro aqui no suburbio, até então tudo normal só que percebi que ele estava lá , dentro da capa que eu guardo o meu contra-baixo.


Homens carros vieram da estrada
Somente para te dizer que de fato
Os seus veículos possuem
Um coração
Se acaso você duvida
Então tente lhes convencer


Homens carros
Na incerteza da estrada
Não tem o que esconder
Vão seguindo
O caminho do vento que sopra
Em turbilhão
Estão em busca do espírito
Do tempo que começou

Homens carros
Conquistam horizontes
Até mesmo sem perceber
Que na neblina da vida
Os leva sempre a colidir com tudo aquilo que
Sonharam e deixaram de ir buscar

Benjamim

3 comentários:

jorginho da hora disse...

Suas cronicas me divertem muito. Flando em musica, a banda de vocês ainda tá na estrada?

Naiane disse...

"Homens carros
Conquistam horizontes
Até mesmo sem perceber
Que na neblina da vida
Os leva sempre a colidir com tudo aquilo que
Sonharam"

Essa foi a melhor parte. Gostei muito. Está tudo bem?
Um abraço e obrigada pela visita. Ainda não vi vc me seguindo...rs

Rammed disse...

Olá, caríssimo!

Vou te ligar para marcar-mos nosso tão prometido encontro presencial. Vamos nos olhar nos olhos e atestar que lá dentro ainda arde a velha chama. Fortíssimo abraço, do teu amigo

RAFAEL MEDEIROS